Demonstrativo de Fluxo de Caixa (DFC)

Publicado em 19 de novembro de 2021
Categoria: Controladoria

Um dos demonstrativos mais conhecido e utilizados mundialmente, o demonstrativo de fluxo de caixa, é o demonstrativo que mede a saúde financeira da empresa, ou seja, se ela tem ou não dinheiro em caixa. Essencialmente ele está presente em todos os tipos de empresas ao redor do globo e é de extrema eficiência quando alimentado e gerido da maneira correta, com ele a empresa se programa para pagamentos e recebimentos e consegue se prevenir ou adiar algum compromisso que não vai conseguir honrar.

Porém além de ser muito utilizado ao redor do globo, a situação que o Brasil apresenta dificulta o empresário a vislumbrar apenas os resultados de seu Demonstrativo de Fluxo de Caixa (DFC), mas por quê? Caso você já tenha passado pelo artigo do Demonstrativo de Resultado do Exercício (DRE) , você já tenha noção que os lançamentos apresentam 3 datas normalmente e você também sabe que principalmente no Brasil muitas das vezes essas datas não são nenhum pouco similares, ou seja, uma NF com data de emissão no dia 02/01/2021, pode ser paga em até 12x ou até por um período muito maior, dificultando assim o controle de custos para conseguir entregar o serviço ou produto. Esse é um ponto além da enorme carga tributário que muitos empresários falam que empreender no Brasil não é para amadores!

Conciliando uma boa gestão dos demonstrativos com acompanhamentos mensais você consegue medir se a saúde financeira de sua operação e de seu caixa está boa, com isso fica fácil de encontrar o problema e aí sim trabalhar para minimizar os danos que ele vai lhe causar. Muitas empresas apresentam resultados lindos em seu DRE, mas seu fluxo de caixa é péssimo devido a condições de pagamentos de clientes e fornecedores não serem muito bem planejadas e amarradas, sendo assim seu problema não é operacional e sim com prazos.

Sim! Os prazos de recebimento e pagamento importam muito quando a empresa ainda não tem um bom capital de giro para bancar sua operação e assim possibilitar que seus clientes paguem em mais tempo. Um dos erros fatais é pequenas empresas se permitem a dar prazos para pagamento igual empresas maiores do mesmo segmento para assim ter competitividade, mas se esquecem que não vão ter fluxo de caixa para bancar a operação e aí cometem seu primeiro erro que é pegar o primeiro empréstimo.

Administre corretamente seu Demonstrativo de Fluxo de Caixa (DFC) e fique de olho em seus prazos de pagamentos e recebimentos veja se ambos são saudáveis para sua empresa. Fique alerta para a liquidez mensal e não apenas para o saldo acumulado do caixa, (Caso não saiba o que é liquidez mensal e saldo acumulado do caixa de uma olhada em nosso artigo sobre Indicadores) para que assim tenha uma certeza de que o mês foi de fato positivo, pois com um saldo acumulado positivo alto pode mascarar resultados negativos por um bom tempo até que seja tarde demais para corrigi-lo.

 

Concluímos que o Demonstrativo de Fluxo de Caixa (DFC) é de extrema importância, mas é errado apenas olhar para ele para saber a saúde de uma empresa. Como gostamos de falar por aqui isso é uma pequena engrenagem que gira todo o sistema e sua importância é igual a de qualquer outra parte da empresa pois a empresa só vai prosperar se estiver em harmonia.

connect

we'd love to have your feedback on your experience so far

Sucesso!

OBRIGADO

Nossos analistas entrarão em contato com você para tirar todas as dúvidas e dar os próximos passos.

Get Discount up to 70%

Pleshost

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.

Quer saber mais sobre o Senseboard

Preencha o formulário abaixo que um dos nossos consultores entrará em contato.